Introdução

A CRENÇA NO DEUS ÚNICO - O Islam sempre pregou e confirmou o monoteísmo e negou qualquer tipo de divindade criada pelo ser humano. Seu principal lema é " O testemunho sobre a divindade de Deus, o único". Ele é único, eterno, absoluto, jamais gerou ou foi gerado e ninguém é comparável a Ele. Por isso somente Deus é a fonte da jurisprudência e da legislação que envolvem o ser humano em qualquer lugar e época. 

 

O PROFETISMO é o meio de comunicação entre o ser humano e Deus. É através dele que são reveladas as jurisprudências divinas para o ser humano. Aceitar o profetismo é uma das crenças mais fortes e importantes da religião Islâmica. Crer no profeta Mohammad (S.A.A.S.) é crer em todos os profetas, já que eles foram enviados com a finalidade de ensinar aos seres humanos o que Deus quer deles, o que Ele proibiu e autorizou, por isso o segundo testamento mais importante no Islam é "Testemunhar que Mohammad é o mensageiro e servo de Deus", já que ele é o último dos profetas e mensageiros e é também o resumo de todos eles. Foi ele quem nos revelou o Alcorão Sagrado, este que não foi redigido por ele, mas dito por Deus e revelado ao seu profeta e mensageiro Mohammad (S.A.A.S.) por intermédio do anjo Gabriel durante 23 anos.

 

O IMAMATO - Para que a última mensagem divina revelada pelo concludente dos profetas continue como foi exposta, foram nomeados e escolhidos, através de Deus, doze Imames e sucessores para dar continuidade à função do profeta Mohammad (S.A.A.S.) em divulgar, proteger e ensinar os fundamentos do Islam para a humanidade. O profeta Mohammad (S.A.A.S.) anunciou, sob a ordem de Deus, a vinda destes doze Imames (A.S.) para liderar a nação e para ser protetores e conservadores desta grande mensagem. Ele disse: "Os Imames depois de mim serão doze, o mesmo numero dos apóstolos de Jesus". A nomeação dos sucessores após sua morte é algo muito relevante e lógico pelo tamanho da importância que o Islam representa na vida do ser humano e para que a nação e a população não entrassem em conflitos. O Alcorão Sagrado e o profeta Mohammad (S.A.A.S.) os nomeiam como Ahlul Bait (A.S.)

 

O JUÍZO FINAL -Crer na ressurreição após a morte, pois Deus fará que o espírito volte para o corpo, não para viver novamente na Terra, mas para ser julgado e viver eternamente. Assim Deus os julgará por seus atos e os compensará ou os castigará. Recompensará os fieis, crentes, obedientes e aos seus seguidores o paraíso estará reservado. Castigará os infiéis, desobedientes, os injustos e os punirá com o fogo do inferno. Isto foi pregado pelos profetas e confirmado por todas mensagens celestiais. Compensa então, ao ser humano praticar o desejo de Deus pois assim seguirá ao paraíso e não ao inferno, pois todos seremos julgados por nossos atos e atitudes. Depois da morte o ser humano não se transforma somente pó e acaba, mas é julgado no Dia do Juízo Final e recompensado ou castigado por todos os suas obras, sejam elas pequenas ou grandes. Deus disse no Alcorão Sagrado: "Quem tiver feito o bem, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á e quem tiver feito o mal, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á " (C 99 - V 7 e 8). Convidamos a todos e a nós mesmos a seguir o caminho da verdade, o caminho que Deus quer. Assim saberemos o que agrada a Deus e o que não O agrada e nos afastaremos do mal e, conseqüentemente da ira divina.

  • Twitter Clean
  • w-facebook
  • w-youtube
  • w-flickr