A Ressurreição manifestada em nossa natureza


A RESSURREIÇÃO MANIFESTADA EM NOSSA NATUREZA

É dito que o teísmo reside no interior do homem, em sua natureza, e se estudarmos os aspectos conscientes e subconscientes da mente, vamos encontrar um profundo interesse no ser sobrenatural que criou o universo. Mas essa verdade não é exclusiva do Monoteísmo e do Teísmo. Todos os princípios maiores e menores da religião também residem na alma do homem. Se pararmos para observar o nosso coração e a nossa alma, vamos encontrar uma consciência que nos diz que a vida não termina aqui e que a morte é uma janela para a vida eterna. Para descobrir essa verdade, devemos observar o seguinte: 1. Amor pela Sobrevivência Se o homem tivesse sido criado para ser extinto, ele amaria a extinção, amaria a morte, e o fim da sua vida, afinal esse seria o objetivo da vida. No entanto, vemos que a face da morte nunca foi tolerável para o homem, pelo contrário, ele foge da morte com todas as suas forças. A busca por uma vida mais longa e por um conforto na vida são sinais que comprovam essa verdade. Este amor pela sobrevivência mostra que fomos criados para sermos eternos. Esse amor não teria fundamento se fôssemos criados para morrer. Os sentimentos básicos que nutrimos dentro de nós são criados para completar nosso ser, o amor pela sobrevivência é do mesmo tipo. Lembre-se que embarcamos nessa discussão sobre a resurreição após aceitarmos a existência de Deus, o Sábio, o Conhecedor. Acreditamos que Ele colocou esses sentimentos em nós por uma razão. Pela mesma razão que nos deu o amor pela eternidade, por tanto esse amor não existiria sem uma crença em outro mundo. 2. A Ressurreição na História A história da humanidade atesta o fato de que da mesma forma que a religião sempre existiu entre os povos antigos, a crença em uma vida após a morte sempre esteve presente. As evidências deixadas para trás pelos povos da antiguidade, nos tempos pré-históricos, a forma como eles construíram seus túmulos e a maneira como eles enterraram seus mortos indicam o fato de que eles tinham uma forte crença na vida após a morte. Essa crença profundamente enraizada não pode ser encarada como uma questão simples, nem pode ser interpretada como um comportamento habitual simples. Quando observamos uma crença enraizada em uma nação do passado, devemos olhar para ela a partir do ponto de vista da natureza primordial, porque é a natureza primordial que pode preservar algo mesmo com a passagem do tempo e com as mudanças sociais e intelectuais, e fazer com que tudo fique em seu devido lugar. Caso contrário, os costumes, os ritos e a doutrinação seriam esquecidos com o passar do tempo. O uso de um determinado tipo de roupa é um hábito; portanto, muda com o tempo, mas o amor de uma mãe para com o seu filho é um instinto, vem da sua natureza primordial, e dessa forma não muda com o tempo e não é esquecido nem negligenciado. Qualquer força que venha diretamente da alma humana tem suas raízes na natureza primordial do homem. Quando um cientista diz: "Pesquitas mostram que o homem acreditava em uma espécie de religião, e devido a esse fato eles cumpriam algumas regras ao enterrar seus mortos, como por exemplo colocar seus instrumentos de formação profissional ao seu lado, isso mostra uma crença na existência de outro mundo," [A Sociologia de Kenning, p 192], nós nos convencemos facilmente de que esses povos acreditavam na vida após a morte. 3. A Existência de um Tribunal Interno no Homem Também chamada de consciência, essa é outra maneira de provar que o conceito da ressurreição vem da natureza primordial do homem. Como já foi dito anteriormente, todos nós temos essa sensação convincente de que existe um tribunal dentro da nossa alma, dentro da nossa mente, que avalia os nossos atos, seja nos punindo pelos erros que cometemos, punição essa que chega a tornar a vida amarga; ou nos recompensando pelas coisas boas que realizamos, tornando-nos tão felizes que não temos como expressar tamanha satisfação. Tem sido frequentemente observado que indivíduos, após cometer grandes crimes como assassinato e tentam fugir da justiça, voluntariamente se entregam. Eles se rendem e a razão é a tortura que a consciência nos dá. Um ser humano, em testemunho neste julgamento ou tribunal, pergunta a si mesmo: "Como posso eu, que sou apenas uma pequena criatura, ter uma pequena consciência, mas o grande universo e o mundo da criação não têm julgamento ou tribunal, isso é justo?" Desta forma, podemos provar que a crença na ressurreição e na vida após a morte é primordial de três maneiras: 1. Através do amor a sobrevivência. 2. Devido à existência dessa crença ao longo da história. 3. Através de um pequeno exemplo que está em nós mesmos

Sheilk Rodrigo Jalloul

#ressurreição

37 visualizações
  • Twitter Clean
  • w-facebook
  • w-youtube
  • w-flickr