• Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Follow Us
Search By Tags
Please reload

Recent Posts

Imamato e o Oitavo Imam Ali Al-Reda (as)

July 24, 2018

1/10
Please reload

Featured Posts

Encontro dos Mares no Alcorão

A ciência moderna descobriu que, nos lugares onde dois mares diferentes se encontram, há uma barreira entre eles. Esta barreira divide os dois mares, então cada um tem sua própria temperatura, salinidade e densidade. [Princípios da Oceanografia – Davis, pp. 92-93]

 

Por exemplo a água do Mediterrâneo é quente, salina e menos densa, em comparação com a água do Oceano Atlântico. Quando a água do mar Mediterrâneo entra no Atlântico sobre o peitoril de Gibraltar, ele se move várias centenas de quilômetros para o Atlântico, a uma profundidade de aproximadamente 1.000 metros com suas próprias características quentes, salinas e menos densas.

 

 

A água do Mediterrâneo se estabiliza nesta profundidade. [Princípios da Oceanografia – Davis, pp. 93]

 

A água do mar Mediterrâneo quando entra no Atlântico sobre o peitoril de Gibraltar com suas próprias características quentes, salinas e menos densas, devido à barreira que os distingue. As temperaturas estão em graus Celsius (ºC).

 

 Encontro do Mar Mediterrâneo ao Oceano Atlântico

 

Mesmo em profundidades (indicadas aqui por cores mais escuras) até 1.400 metros e a distâncias que variam de -100 a +2,500 metros, encontramos que ambos os corpos de água mantêm suas temperaturas individuais e salinidade.

 

Embora haja grandes ondas, fortes correntes e marés nesses mares, eles não misturam nem transgridem essa barreira.

 

O Sagrado Alcorão menciona que há uma barreira entre dois mares que se encontram e que não transgridem. Deus diz:

 

Desenleia os dois mares, para se depararem. Entre ambos, há uma barreira; nenhum dos dois comete transgressão. [Sagrado Alcorão 55:19-20]

 

Mas quando o Sagrado Alcorão fala sobre o divisor entre a água fresca e a salgada, menciona-se a existência de “uma divisão proibida” com a barreira.

 

Deus diz no Sagrado Alcorão:

 

E ELE É QUEM DESENLEOU OS DOIS MARES: ESTE É DOCE, SÁPIDO, E AQUELE É SALSO, AMARGO. E FEZ, ENTRE AMBOS, UMA BARREIRA E TERMINANTE PROIBIÇÃO DE SUA MESCLA. [SAGRADO ALCORÃO 25:53]

 

Pode-se questionar, por que o Sagrado Alcorão menciona a partição ao falar sobre o divisor entre água fresca e salgada, mas não mencionou isso quando falava sobre o divisor entre os dois mares?


A ciência moderna descobriu que, nos estuários, onde a água fresca (doce) e a água salgada se encontra, a situação é algo diferente da que se encontra nos lugares onde dois mares se encontram. Verificou-se que o que distingue a água doce da água salgada nos estuários é uma “zona de picnoclina com uma descontinuidade marcada da densidade que separa as duas camadas”. [Oceanografia p. 242]

 

Esta partição (zona de separação) tem uma salinidade diferente da água fresca e da água salgada [Oceanografia p. 244 e Oceanografia introdutória pp. 300-301]

 

 

Encontro de dois Oceanos

 

Esta informação foi descoberta apenas recentemente usando equipamentos avançados para medir a temperatura, a salinidade, a densidade, a solubilidade do oxigênio, etc. O olho humano não pode ver a diferença entre os dois mares que se encontram, e os dois mares nos aparecem como um mar homogêneo. Da mesma forma, o olho humano não pode ver a divisão de água nos estuários nos três tipos: água fresca, água salgada, partição (zona de separação).

 

fonte: islam-guide

Please reload

  • Twitter Clean
  • w-facebook
  • w-youtube
  • w-flickr