A evidência do shiismo no Islam (diálogo entre sábios shiitas e sunnitas)


O presente artigo consta de cartas as quais constitui o livro Al-Muraya‘ât (As Evidências), se dispõe como perguntas e respostas, buscando explicar, justificar e sustentar a razão do Shiísmo. O Sábio Sunita, Cheique Salim Al-Bishri, Diretor da Universidade de Al-Az•har no Cairo no início do século XX, iniciou a discussão, que embora não tenha se iniciado como debate, senão por um desejo de investigar e compreender o ponto de vista;

O Cheique Al-Bishri dirigiu suas perguntas a um eminente sábio da época, O Saîied ‘Abdul-Husain Sharafud-Dîn Jabal ‘Âmilî (do Sul do Líbano), que visitou o Egito em 1911-12 (1329-30 de Hégira) e esteve em contato com ele.

O Cheique se impressionou profundamente pelo conhecimento franco, aberto, racional e sábio do Saîied. O Saîied, que era um homem disposto a ação, estava ansioso por uma pergunta que abrisse a discussão e propiciasse uma oportunidade para revelar todo o seu entesourado conhecimento.

Dessa maneira, inicia-se a correspondência. O Saîied não poupou esforços para responder a cada pergunta, dissipando todas as dúvidas desmistificando as concepções erradas e falsas apresentadas contra a Shiia. Ele citou autores para cada princípio da crença, dando capítulos e versículos do Sagrado Alcorão, e fez citações dos grandes comentaristas sunitas como Fajr Ad-Dîn Ar-Razi, Baidawî e Zamajsharî. Logo ele apoiou sua fundamentação sobre as bases de tradições aceitas universalmente pelas diferentes escolas sunitas como Sahîh Al-Bukhârî, Sahîh Muslim, Sunan Abû Dawûd, Jâmi‘ At-Tirmidhî, As-Sawâ‘iq Al-Muhriqah e outros numerosos autores sunitas.

O cheique agradeceu todas essas cartas, e o estimulou para que escrevesse, e cada vez que era necessário, indicava alguma omissão presente. O Saîied imediatamente procedia, no esclarecimento da dúvida. Esse intercâmbio de cartas continuou por três anos e meio, ao final dos quais o Cheique exaltou e agradeceu a seu amigo e admitiu como correto o que havia sido esclarecido.

O propósito desses dois homens sábios, como eles expressaram e manifestaram em suas correspondências, não foi por um exibicionismo dialético ou para expor de forma vaidosa seu conhecimento sobre o Sagrado Alcorão e a Sunna com a finalidade de tomar vantagens da debilidade do outro, senão que foi no intuito de aventurar-se em busca da verdade e de suas evidências fundamentais com serenidade e reunir as provas necessárias para sua aceitação lógica.

Depois que a correspondência foi completada, o Saîied, com a permissão do Cheique, as publicou finalmente, sob o título de Al-Muraya‘ât em 1936/1355 H., e o livro tem sido reimpresso várias vezes desde então.

Al-Muraya‘ât causou um forte impacto entro os Sábios Muçulmanos. Assim, uma nova geração de sábios emergiram no Egito, no Iraque e no Iran, os quais requereram das diferentes escolas islâmicas um maior esforço para estreitar suas relações. Eles formaram uma organização para servir a este propósito no Egito, a qual é conhecida por Dâr At-Taqrîb (Casa da aproximação e da compreensão).

Como resultado desta associação, o Diretor da Universidade de Al-Azhar, o falecido Cheique Mahmud Shaltut, emitiu uma norma religiosa (fatwah) no ano de 1959 que reconhece a escola de pensamento Se‘ah Iznâ ‘Ashrî (shiíta Seguidora dos Doze Imames) como uma escola de pensamento aceito no Islam como ortodoxia. De acordo com sua fatwah os muçulmanos sunitas podem praticar o Islam de acordo com os ensinamentos desta escola, como os ensinamentos de qualquer outra das escolas Sunitas.

Al-Muraya‘ât é um caudal de informações para o buscador e analisador das verdades depositadas em Ahlul Bayt (A Casa dos Familiares do Mensageiro de Deus). Não obstante, devemos ter em mente que estas cartas foram intercambiadas entre os sábios, os quais em sua exposição apresentam e dão a entender coisas que pessoas comuns e não versadas em teologia islâmica necessitam aprofundar para compreender e assimilar sua dimensão e implicância no pensamento religioso e teológico do Islam. Para aqueles que aspiram buscar qualquer ponto em particular e de forma mais detalhada e ampla, o livro está repleto de referências exatas e de detalhes em forma de notas ao rodapé, a maioria das quais escritas pelo próprio Saîied. As referências em sua maior parte são de livros reconhecidos como autênticos e confiáveis pela escola de pensamento Sunita. Constitui nosso verdadeiro desejo, que aquele que queiram compreender a realidade do Islam analisando objetivamente as diferentes escolas e tendências na Religião do Islam, procedam na análise e estudo desta correspondência com uma mente aberta, um coração sincero e um genuíno desejo de encontrar a Verdade.

Fonte:islampernabuco

#xiismo

45 visualizações