A tragédia do Imam Hussein deu início ao Xiismo ?


Quando se diz que Ashura - o martírio do Imam Hussein (as) e a chacina da família do Profeta (saas) - marca o "início do xiismo", o que está se tentando dizer é que o acontecimento marca o início da *identidade* xiita.



A rigor, se definirmos o que veio a se chamar xiismo (de "shia Ali", "partidário de Ali") como a filiação ao Imamato, então o "xiismo" é praticamente tão antigo quanto a própria Profecia.


O Imamato não surgiu após a morte do último Profeta, mas esteve funcionando desde o primeiro: a saber, na ausência de um profeta, é sempre um Imam que guia a comunidade e serve como guardião das chaves hermenêuticas dos livros revelados.


Entre Jesus (as) e Muhammad (saas), por exemplo, há um período de "latência" profética de séculos. Neste meio tempo, a guarda do Islam (que é como chamamos a Religião de todos os profetas, de Adão a Muhammad) foi desempenhada por "Imam's". Como já escrevi num post antigo, todo profeta teve seu Imam, geralmente alguém da família - e nas vezes em que menciona um profeta, o Alcorão sempre o faz acompanhado da menção à sua família ou filho ou irmão.


O Imamato é a parte "esotérica" da Religião dos Profetas. Enfim: Ashura marca o início da *identidade* xiita no sentido em que naquele episódio se escancara a cisão entre o Islam "exotérico" (dos sunitas, e a expressão é de Corbin) e o Islam "esotérico" (dos partidários de Ali).


O destino do Imam Hussein (as) já era de conhecimento do Profeta e dele próprio (Hussein), não só por seus dons premonitórios (atributos da Profecia) mas também porque, afinal, este destino sempre esteve, digamos, no "DNA" da Profecia. A história dos Profetas ou da missão profética é uma história triste, dramática. Quase todo o Alcorão, se lido de certo ângulo, pode ser entendido como a história da "tragédia" dos profetas, enquanto vivos ou após sua morte. O sangue derramado do neto do Profeta foi a "vingança" que os pagãos tiveram da vitória do Islam. Karbala foi a vingança de Badr (em que o exército liderado pelo Profeta impôs aos árabes pagãos uma derrota muito, muito amarga, e inesquecível pelas famílias derrotadas, tão dadas ao espírito de vendeta das tribos árabes). Seja como for, o que chamamos "xiismo" é - em nossa perspectiva - simplesmente o Islam. Ele não "nasceu" em Karbala. Mas ganhou ali sua bandeira, sua identidade, seus hinos e seu exemplo de luta.


Texto: Carlos Alberto Sanches