Derrota do DAESH: A Carta do General Soleimani ao Aiatolá Khamenei



Em um momento histórico para a comunidade muçulmana e não-muçulmana o documento a seguir mostra o terror do grupo intitulado “Estado Islâmico” e a declaração de vitória do general Soleimani assim como de todos os combatentes sobre o terrorismo perpetrado nas terras do Iraque e na Síria por esse grupo.


Nesta carta ao Líder da Revolução Islâmica, Major General Qassem Soleimani, o comandante das Brigadas Quds do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica declarou o fim do domínio da maligna entidade Daesh e parabenizou o aiatolá Khamenei e o mundo do Islã nesta grande vitória.


O texto da carta do general Soleimani é o seguinte:


Em Nome de Deus, o Misericordioso, o Compassivo

Em verdade, Concedemos a ti uma vitória manifesta

Para o amado e corajoso Líder da Revolução Islâmica, Aiatolá Seyyed Ali Khamenei Saudações

Seis anos atrás, um perigoso ato de revolta, semelhante a era de Amir al-Mu'minin (Imam Ali), que privou os muçulmanos da oportunidade e do prazer de compreender verdadeiramente o puro Islã do [Profeta] Muhammad, atormentou o mundo do Islã; no entanto, desta vez foi complicado e manchado com o veneno do sionismo como uma tempestade destrutiva.


Essa perigosa e tóxica revolta foi criada pelos inimigos do Islã com o objetivo de fomentar o belicismo generalizado no mundo muçulmano e colocar os muçulmanos uns contra os outros. A perigosa corrente sob o nome de "O Estado Islâmico do Iraque e do Levante", através do engano de dezenas de milhares de muçulmanos dos dois países, conseguiu naqueles primeiros meses mergulhar de forma muito eficaz e decisiva os territórios islâmicos do Iraque e da Síria uma crise perigosa e apreender centenas de milhares de quilômetros quadrados das terras desses países junto com milhares de aldeias, cidades e capitais provinciais e destruir milhares de oficinas, fábricas e infraestruturas importantes desses países - incluindo estradas, pontes, refinarias.


Embora o dano infligido não possa ser avaliado; no entanto, estimativas primárias colocam o número em cerca de quinhentos bilhões de dólares.


Durante este desastre, crimes muito dolorosos que não podem ser mostrados ocorreram, incluindo decapitação de crianças ou esfola de homens vivos diante de suas famílias, levando meninas e mulheres inocentes presas e serem estupradas, incendiando pessoas vivas e massacrando centenas de jovens.


Consternado com esta tempestade tóxica, uma parte do povo muçulmano desses países foi vítima das adagas afiadas desses criminosos Takfiri enquanto milhões de outras pessoas deixaram suas casas e residências e vagaram por outras cidades e países.


Nessa tenebrosa revolta, milhares de mesquitas e centros sagrados muçulmanos foram destruídos ou demolidos e, em alguns casos, mesquitas explodiram junto com seus líderes de oração e seus fiéis.


Alegando estar defendendo o Islã, mais de seis mil jovens enganados se explodiram em ataques suicidas com veículos carregados de explosivos perto de praças, mesquitas, escolas ou até hospitais e locais públicos para muçulmanos. Como resultado desses atos criminosos, dezenas de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes foram martirizados.


De acordo com a autoridade mais graduada dos EUA, que agora é o presidente deste país, todos esses crimes foram planejados e executados por líderes e organizações vinculadas aos EUA e essa abordagem ainda está sendo perseguida e implementada pelas atuais autoridades americanas.


O que, depois da graça do glorioso Deus e da atenção especial do Profeta Muhammad, trouxe a derrota desta conspiração sombria e perigosa foi a liderança prudente e orientação sábia de Vossa Excelência e do clérigo sênior aiatolá Sistani, que resultou na mobilização de todos os recursos para combater esta tempestade tóxica.

Certamente, a resiliência dos governos iraquiano e sírio e a coragem dos exércitos e jovens desses dois países, especialmente as Unidades de Mobilização Popular, e os jovens de outros países muçulmanos com a contribuição poderosa e fundamental do Hezbollah liderado pelo honorável Seyyed Hassan Nasrallah jogaram um papel decisivo no fim deste fenômeno perigoso.


Certamente, é louvável o valioso papel da nação e do governo da República Islâmica, particularmente do ilustre presidente, parlamento, Ministério da Defesa e organizações militares, policiais e de segurança da República Islâmica no apoio aos estados e nações mencionados.


Na qualidade de soldado comissionado por Vossa Excelência neste campo de batalha, declaro o fim do domínio desta árvore maldita e maligna com a conclusão das operações de libertação em Bukamal, o último reduto do Daesh, e com o puxão da bandeira deste grupo sionista dos EUA e hasteando a bandeira síria em nome de todos os comandantes e combatentes desconhecidos nesta cena e milhares de iranianos, iraquianos, sírios, libaneses, afegãos e paquistaneses defensores do santuário que sacrificaram suas vidas para proteger as vidas, esposas e filhas dos muçulmanos e suas santidades, felicito Vossa Excelência e a grande nação do Irã islâmico e as nações oprimidas do Iraque e da Síria e de outros muçulmanos do mundo e estendo uma profunda reverência de gratidão a Deus Todo-Poderoso por esta enorme vitória.


A vitória vem apenas de Deus Todo-Poderoso, o Sábio. Seu filho e soldado Qassem Soleimani



30 visualizações0 comentário