Hajj 2020 e Coronavírus

Hajj (Peregrinação) com restrições e duras regras para evitar a contaminação do #Coronavírus


A peregrinação a Meca este ano está restrita a residentes na Arábia Saudita, cidadãos ou expatriados. Como medidas de segurança, peregrinos são testados para covid-19, medem temperatura e terão que cumprir a quarentena ao final da viagem.


Uma equipe de saúde e segurança desinfetou a área ao redor da Caaba, estrutura no centro da Grande Mesquita em direção à qual os muçulmanos ao redor do mundo rezam.

As autoridades do Hajj cercaram a Caaba este ano e os peregrinos não poderão tocá-la, como o faziam todos os anos, para diminuir as chances de contágio da covid-19. Eles também criaram centros de saúde, clínicas móveis e ambulâncias para cuidar dos peregrinos, que têm que usar máscaras e observar o distanciamento social.

Cada peregrino recebeu um kit com pedras esterilizadas para o ritual de apedrejamento do Jamarat, além de desinfetantes, máscaras, um tapete para reza e o ihram, a roupa branca sem costura que eles vestem durante o Hajj.

O Hajj é una das maiores peregrinações religiosas do mundo e ano passado atraiu quase 2,5 milhões de pessoas. Este ano, após meses de discussão, o governo saudita decidiu por fazer o Hajj somente com residentes do país, sejam eles sauditas ou expatriados que vivem no reino. Mesmo com a redução drástica de público, as autoridades sauditas mantêm os esforços para impedir um surto de coronavírus durante a peregrinação de cinco dias. O Hajj é uma obrigação para muçulmanos saudáveis e com condições financeiras. Ele deve ser feito pelo menos uma vez na vida.


Os dados atuais da Organização Mundial de Saúde mostram que a Arábia Saudita contabiliza 270.831 casos e 2.789 mortes por coronavírus desde o início da pandemia, um dos maiores índices da região do Golfo.



#Islam #hajj2020 #hajj #covid19

0 visualização